NOTICIAS COMENTADAS
28 de Julho de 2017

LÍDERES ISLÂMICOS PEDEM QUE MUÇULMANOS SE UNAM PARA “TOMAR” JERUSALÉM

 

Só precisavam de um motivo. E um bom motivo como este, não deu outra... Lideranças religiosas e políticas querem união de islâmicos. Depois de acontecerem duas mortes de soldados israelenses, a segurança é reforçada com detectores de metais. E líderes islâmicos promovem união de forças para “tomar! Jerusalém.

Vamos ver o que se passou?

“O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, pediu nesta terça-feira (25) aos muçulmanos de todo o mundo que “visitem” e “protejam” Jerusalém do controle de Israel. Em meio aos conflitos dos últimos dias, o governo israelense cedeu às pressões e retirou os detectores de metal da entrada do Monte do Templo, o que foi visto como um sinal de fraqueza.

Erdogan convocou os fiéis islâmicos a irem para Jerusalém e visitem a mesquita de Al-Aqsa, que fica no alto do Monte, sendo o terceiro lugar mais sagrado do Islã. “Sob o pretexto de lutar contra o terrorismo, trata-se de uma tentativa de roubar a mesquita Al-Aqsa dos muçulmanos”, afirmou o líder turco.

“Israel tomou um caminho perigoso. Ao ocupar a mesquita de Al-Aqsa, Israel ultrapassou os limites”, afirmou Erdogan, acrescentando que a Turquia reconhece tanto a Palestina como nação, cuja capital é Jerusalém oriental, mas que Israel tem sua capital em Tel Aviv.

Insistiu ainda que “Quanto mais defendemos a Al-Aqsa, mais feroz será a resistência. Se os soldados israelenses estão sujando a Al-Aqsa com suas botas, é por que nós não conseguimos defendê-la decentemente. Defendamos a Palestina assim como defendemos Meca e Medina”.

Para o presidente turco, os problemas da “Palestina” começaram com a queda do Império Turco Otomano, que dominou Jerusalém entre 1517 e 1917.

REAÇÃO DE ISRAEL:

O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores, Emmanuel Nahshon, respondeu a Erdogan, dizendo que o discurso do presidente turco era “delirante” e “distorcido”.

“Os dias do Império Otomano acabaram”, continuou Nahshon. “A capital do povo judeu era, é e sempre será Jerusalém. Ao contrário do domínio passado, nesta cidade o governo está comprometido com sua segurança, liberdade, liberdade de culto e respeito aos direitos de todas as minorias”.

A provocação de Erdogan foi interpretada por especialistas como parte de uma batalha entre líderes muçulmanos pela influência em Jerusalém e o Monte do Templo. Ele vem fazendo esse tipo de ameaça de invasão, repetidas vezes nos últimos anos.

OUTRAS AMEAÇAS:

Nesses dias, os acessos da Cidade Velha de Jerusalém foram tomados por palestinos, que acusam Israel de tentar expandir seu controle sobre o seu local sagrado. Em sinal de protesto, além das orações nas ruas, muitos islâmicos entraram em confronto com a polícia, lançando pedras e coquetéis molotov.

Ikrema Sabri, líder do Comitê Supremo Islâmico de Jerusalém afirmou que a situação ainda está longe de ser resolvida, reiterando que os muçulmanos devem ter o acesso garantido à Esplanada das Mesquitas e não devem ceder às exigências israelenses.

O filho do falecido rei da Arábia Saudita, Fahd Bin Abdulaziz, usou as redes sociais para criticar Israel e convocar os muçulmanos para se “solidarizarem” com a situação. Ele escreveu: “Todo muçulmano é obrigado a apoiar nossos irmãos na Palestina e a Mesquita Sagrada de Al-Aqsa, cada um da maneira como pude. Ó nação de Maomé, mostre-lhes quem você é. Negligenciar Al-Aqsa seria uma desgraça e Allah nos responsabilizará.”

Em outra mensagem, conclamou: “Ó nação de Maomé e Allah, a terceira mesquita é prisioneira da ocupação criminosa. Vamos lutar, queremos ser vitoriosos e salvá-la”.

Um dos discursos mais incisivos foi do sheik Yusuf al-Qaradawi, um dos principais líderes do segmento sunita do islamismo e um dos mais influentes líderes do grupo político-religioso Irmandade Islâmica, presente em muitos países. Nascido no Catar, ele é presidente da União Mundial de Sábios Islâmicos.

“É preciso dizer claramente que esta é uma campanha islâmica, já que Al-Quds [nome islâmicos para Jerusalém] não é apenas uma questão palestina ou árabe. Al-Quds é o interesse de toda nação islâmica, desde o oeste até o leste”, escreveu Qaradawi, que tem laços com o Hamas, principal grupo palestino opositor de Israel.   https://noticias.gospelprime.com.br

COMENTANDO: Esta incitação dos lideres Islâmicos, pode realmente estourar em uma grande confusão. E o Erdogan, Presidente da Turquia está bem furioso com o comportamento de Israel. Israel tentando se defender, pois dois de seus soldados foram mortos subitamente, coloca detectores de metais, mas os palestinos não gostaram desta idéia. Isso não vai acabar bem. O mundo cristão está de olho nesse acontecimento com Jerusalém.  Prestem atenção em tudo o que vai acontecer com esse Presidente, bem como, aos demais envolvidos nesses acontecimentos. Só Deus nesta causa!

 

 
CATEGORIAS
RELACIONAMENTOS
ORAÇÕES
MODA
SAÚDE
VIAGENS E TURISMO
CASA ARRUMADA
NOTICIAS COMENTADAS
CONHECIMENTOS ATUAIS,GERAIS, RELIGIOSOS, ETC
MÚSICAS LINDAS
 
POSTS POPULARES
1 de Agosto de 2016
FREQUÊNCIA CARDÍACA
Palpitações. Uma sensação do coração saindo pela boca. Medo. Alegria. Raiva, Ódio... Parece que tudo mexe com nossos  batimentos, não ...
LEIA MAIS
25 de Dezembro de 2016
ÁCIDO ÚRICO E GOTA? ELIMINE-OS. APRENDA COMO!
Quem não sente dor nas emendas? Kkkkk. Ops, nas articulações? Há quem ache que seja reumatismo. Puro engano! Até pode ...
LEIA MAIS
4 de Janeiro de 2017
O CÂNCER PODE SER CURADO EM POUCAS SEMANAS: DR LEONARD COLDWELL
Que notícia boa! Até que enfim uma esperança para quem lida com a tal doença. Esse aí da foto é ...
LEIA MAIS
29 de Março de 2016
LIMÃO: A CURA
Nunca pensei que num certo ponto de minha vida eu descobriria tantas qualidades no limão, inclusive do poder curador que ...
LEIA MAIS
11 de Janeiro de 2017
CÂNCER TEM CURA: DR. LEONARD COLDWELL – PARTE 2 - C/VÍDEO
Gentem, em 2 a 16 semanas, a curaa! Pára tudooo! A natureza é mais forte que o Câncer!? Eu já ...
LEIA MAIS